ePrivacy and GPDR Cookie Consent by Cookie Consent

O GOLPE DA CNH TÁ AÍ... CAI QUEM QUER!

"Tire sua CNH sem fazer cursos ou exames, basta mandar seus dados pessoais e pagar X reais...” Sabe o que essa oferta significa? Golpe! Crime para o Estado, prejuízo para você. Não caia nessa! Dirigir é um ato de responsabilidade social.

De acordo com pesquisa lançada em junho/2021 pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), em parceria com o Sebrae, 59% dos internautas sofreram algum tipo de fraude financeira no Brasil nos últimos 12 meses – 28% a mais em relação a 2019. Isso significa que aproximadamente 16,7 milhões de brasileiros foram lesados por golpes cibernéticos no último ano.


Com a popularização das redes sociais e das transferências bancárias instantâneas, os crimes cibernéticos vêm se tornando ainda mais perigosos. Dentre eles, destaca-se o da “venda” de falsas CNHs (Carteiras Nacional de Habilitação), popularmente conhecidas como “CNHs quentes”.

Fique esperto para não cair nessa!


QUE GOLPE É ESSE?

“Quando a esmola é demais, o santo desconfia...” Esse ditado popular ilustra bem os golpes com ofertas de CNH falsa. Tirar a habilitação sem passar por um Centro de Formação de Condutores (CFC) – as autoescolas – e sem fazer os exames do Detran, que comprovam que você conhece o veículo e as normas de trânsito, não é uma “facilidade” ou um “jeitinho brasileiro”, é uma fraude, um crime!

Na maioria das vezes, porém, os golpes nem chegam a esse nível. Os falsários prometem a entrega da CNH e, após receberem o pagamento do interessado, simplesmente somem do mapa ou entregam uma imitação barata da CNH verdadeira. Quem contrata esse “serviço” quer dar uma de esperto e acaba saindo como trouxa.

COMO FUNCIONA O GOLPE?

Os golpistas entram em contato, geralmente por mensagens em redes sociais, e oferecem a possibilidade de “compra” da CNH. A promessa é entregar a habilitação mediante pagamento, sem seguir o procedimento legal que é obrigatório em todo o país: o curso de formação, os exames médico e psicológico e os exames teórico e prático do Departamento Estadual de Trânsito (Detran).

Às vezes, o golpista diz ser um funcionário do Detran ou ter contato com algum funcionário do órgão; outras vezes, diz ser de uma autoescola que, na verdade, não existe – ou até existe, mas não está envolvida na fraude. Inclusive, já utilizaram o nome da própria Piloto e do nosso diretor, Fábio Gusmão, para veicular esse tipo de farsa. [Por sinal, vale lembrar que a autoescola Piloto: NÃO liga para clientes com DDD de outro estado, NÃO realiza matrículas via depósito bancário ou PIX em conta de pessoa física e utiliza APENAS seus canais oficiais para entrar em contato com os clientes!]


Quando a oferta da "venda" é aceita, o golpista pede os documentos do “cliente” e outros dados pessoais, que podem ser utilizados para a prática de outros crimes. Além do prejuízo sofrido para a compra da falsa CNH, a pessoa ainda fica à mercê de outros golpes e danos futuros.

Em fraude semelhante, a quadrilha entra em contato por mensagens e utiliza o programa da CNH Social (que permite tirar a habilitação gratuitamente) como isca para atrair a atenção e obter os dados da vítima. A Polícia Federal em Pernambuco emitiu um alerta recente sobre o assunto.

Na mensagem que circulava nas redes sociais, o falsário dizia que o programa CNH Social havia aberto vagas. Para solicitar a “inclusão no programa”, era preciso clicar num link (de um endereço virtual falso, de aparência semelhante à dos órgãos oficiais). Com esses dados e a navegação na página fake, o golpista podia lesar as vítimas de diversas formas.


O chefe de comunicação da Superintendência da Polícia Federal em Pernambuco, Giovani Santoro, explica:

“Não são todos os estados que oferecem a CNH Social, então a pessoa tem que saber se seu estado está oferecendo naquele período a CNH Social, para não ser vítima desses bandidos. O certo é entrar no site oficial do Detran para ver se eles estão oferecendo naquele período essa facilidade da CNH Social.”

RELATO DE UMA VÍTIMA EM PERNAMBUCO

O jornalista caruaruense Clécio Vidal, em seu canal no YouTube, explica que foi alvo indireto do golpe de venda da CNH. Usaram o CPF dele para cadastrar uma linha telefônica e, através dela, entraram no aplicativo WhatsApp e mandaram mensagens cobrando R$ 1.400,00 para fornecerem uma CNH da categoria B.

Conforme o áudio reproduzido pelo jornalista, o golpista fazia a seguinte promessa: “Você só me passa os seus dados que eu faço todo o procedimento pra você, os exames, as provas ficam tudo por nossa conta aqui, entendeu? Você só vem buscar!”. A foto do perfil utilizada era de um suposto funcionário do Detran.

Clécio Vidal levou os fatos ao conhecimento da Delegacia de Polícia de Repressão aos Crimes Cibernéticos, ligada à Polícia Civil de Pernambuco, e lavrou um boletim de ocorrência. O jornalista também entrevistou o Delegado de Polícia Eronides Meneses, que coordena a repartição. Ele destacou a importância de se denunciar esse tipo de golpe, para que haja a devida investigação e repressão pela polícia.

COMO DENUNCIAR?

O golpe da CNH falsa tem uma peculiaridade que dificulta sua repressão.

As pessoas que aceitam pagar um valor em troca da suposta CNH, em geral, sabem que estão participando de uma fraude – só não desconfiam que, ao final, elas próprias é que sairão lesadas!

Quem aceita uma oferta de venda de CNH depois não pode alegar que sofreu um prejuízo, pois sua vontade era de cometer um crime também. A pessoa acaba ficando sem CNH e no prejuízo! Além da vergonha por ter caído no golpe, ainda há o medo de denunciar a fraude e ser responsabilizado.

No entanto, levar os fatos ao conhecimento das autoridades é fundamental para coibir a prática e punir os criminosos que aplicam o golpe. Para lavrar o boletim de ocorrência, o cidadão pode utilizar, em Pernambuco, o site da Delegacia pela Internet (http://servicos.sds.pe.gov.br/delegacia/). Se preferir, também é possível registrar o caso na Corregedoria do Detran e fazer uma denúncia anônima junto à Polícia Civil.

E se você souber de qualquer farsa envolvendo o nome da nossa autoescola, por favor, reporte o caso através do nosso WhatsApp (81-99490-6276) ou do email contatopiloto@autoescolapiloto.net.br.


Fique atento! Dirigir é um ato de responsabilidade social. As etapas necessárias à habilitação existem para levar mais segurança ao trânsito. Querer burlar esse processo, além de ilícito, é um desrespeito à coletividade!

O GOLPE DA CNH TÁ AÍ... CAI QUEM QUER!